Arquivos

Archive for the ‘Mensagem do Dia (Rede Vida)’ Category

[Vídeo] Mensagem de Ano Novo da TV Aparecida

01/01/2010 Comentários desligados

Em 2010, não desista de você. Dê muitas risadas. Agradeça mais as pessoas. Conheça o seu vizinho. Abrace o seu amigo. Expresse o seu amor. Confie. Sonhe. E realize mais. A vitória da vida está na fé. Feliz 2010!

TV APARECIDA
Você em boa companhia
www.tvaparecida.com.br

Fonte: Canal da TV Aparecida no Youtube

Mensagem Do Dia – Mensagem De Natal

11/12/2009 Comentários desligados

A Rede Vida não está mais publicando a “Mensagem Do Dia” em seu site. Mas, encontrei essa em vídeo no site da TV Aparecida. Confiram!:

Fonte: canal oficial da TV Aparecida no Youtube

Mensagem Do Dia – Por Dom Fernando Figueiredo (Site da Rede Vida)

15/03/2009 2 comentários

15/03/2009
Jo 2, 13-25: Purificação do Templo
Texto bíblico: “…”.

Segundo o Evangelho de S. João, a vinda de Jesus a Jerusalém se situa alguns dias só após Caná e uma breve estada em Cafarnaum. Paralelamente a Caná, esta cena no Templo também se coloca no início de seu ministério público. A idéia bem presente neste texto é de que Deus é santo. Israel, povo de Deus, semelhantemente, deve espelhar esta santidade excluindo toda contaminação profana. Igualmente, o Templo estende seus “pisos” para os pagãos e mesmo os judeus ao redor de seu centro, nomeado “o santo” e “o santo dos santos”, que se enche da Glória insuperável do Deus três vezes Santo. Toda a área que o rodeia é santa.
S. Jerônimo e S. Beda, ao se referirem a este texto, comentam que ao lê-lo temos de recordar à Igreja peregrina, o juízo divino, que pode ser igualmente severo. S. Beda acrescenta que devemos “olhar com solícito empenho este relato para que não suceda que, vindo de surpresa, o Senhor encontre em nós algo pelo que devamos ser castigados com justiça e expulsos da Igreja”.
Por outro lado, bois, ovelhas e pombas eram os animais que serviam de oferendas para os sacrifícios e os cambistas ofereciam os meios para que fossem comprados. Expulsando-os, para além do aspecto de purificação, Jesus já faz o primeiro anúncio da substituição das vítimas que ele realizará em se oferecendo ele mesmo como sacrifício. Vê-se o gesto profético que é a abertura do Templo judaico como casa de oração para todas as nações e que será consumado quando romper o véu do Templo na morte de Cristo e que se realiza na Igreja Católica.
“Senhor, vinde e permanecei comigo. Enchei minha casa com a vossa presença e enchei meu coração com a vossa oração. Ajudai-me a ser grato e reconhecido por tudo e a todos, mesmo àqueles que me causam lágrimas”.

http://www.padremarcelorossi.com.br

Fonte: Site da Rede Vida – Mensagem do Dia

+ SITE OFICIAL DA REDE VIDA

+ MAIS MENSAGENS PUBLICADAS NO SITE DA REDE VIDA

+ MAIS NOTÍCIAS DA REDE VIDA

Mensagem Do Dia – Por Dom Fernando Figueiredo (Site da Rede Vida)

14/03/2009 5 comentários

14/03/2009
Lc 15, 1-3.11-32: Parábola do filho pródigo
Texto bíblico: “…”.

Será que o ponto central desta parábola seria mostrar o contraste entre o filho obediente e aquele desobediente? Não seria talvez destacar a acolhida dada pelo Pai ao filho pródigo e a acolhida dada pelo filho mais velho? Há sem dúvida uma grande diferença, destacada por Jesus, entre a atitude generosa e amorosa do Pai e a reação áspera e egoísta do irmão mais velho. O pai, apesar do filho ter esbanjado todo o dinheiro que ele lhe dera, tinha um amor inquebrantável para com ele. Distante, o filho pródigo tomou consciência do imenso amor que o pai lhe dedicava. Humilhado, mas arrependido, ele retorna decidido a declarar sua culpa diante do pai. O pai não necessita dizer palavras de perdão, suas ações falam mais alto e claramente. As roupas bonitas, o anel, o banquete, simbolizam a nova vida, pura, digna e alegre de alguém que retorna a Deus.
No plano da fé a parábola ressalta que o eterno desígnio divino se realiza apesar dos pecados dos homens, sejam eles infiéis como o pródigo ou egoístas como o filho mais velho. O erro primordial do mais jovem é de não ter tido consciência do privilégio que era o seu, de nascimento, o fato de ser membro da família deste pai. Ele é dominado pelo ter e pelo prazer. O pai deixa a ambos os filhos a liberdade para escolher o tipo de relações que manteriam com ele: relações de um boêmio ou de permanência com ele. “Podemos, escreve S. Gregório o grande, cair mais baixo que nós mesmos pelo excesso de desejos e preocupações, ou sermos elevados acima de nós mesmos pela graça da contemplação”.
Ademais, a Atitude Do Pai revela a sua Misericórdia: Cada dia ele sobe à colina para esperar o filho, e quando o vê ao longe vai ao seu encontro com braços abertos para abraçá-lo e reconduzi-lo ao aconchego do lar. Por que esta alegria? Tertuliano responde que “seu filho perdido e reencontrado se tornava mais caro, porque reencontrado. Um pai mais pai que Deus, não há; um mais terno, não há. Tu que és seu filho, saiba que mesmo se tu o abandonas após ter ele te adotado, mesmo se tu voltas nu, ele te receberá: ele se alegrará ao te rever”. “Senhor, que eu jamais duvide de vosso amor, mas que eu possa ser misericordioso, assim como vós sois todo perdão e misericórdia”.

http://www.padremarcelorossi.com.br

Fonte: Site da Rede Vida – Mensagem do Dia

Mensagem Do Dia – Por Dom Fernando Figueiredo (Site da Rede Vida)

13/03/2009 Comentários desligados

13/03/2009
Mt 21, 33-43. 45-46: Parábola dos vinhateiros homicidas
Texto bíblico: “…”.

Ao lermos os textos bíblicos, uma pergunta nos vem imediatamente: Podemos, de fato, ser reconciliados com Deus? José, vendido pelos irmãos como escravo, torna-se redenção e reconciliação para seus irmãos. José prefigura Jesus, que traído por um de seus discípulos, estendido na cruz, crucificado e morto, torna-se redenção para todos nós. Jesus veio nos reconciliar com o Pai. As suas parábolas retratam o sentido de sua missão.
Na parábola acima citada, a multiplicação de mensageiros constitui justamente sinal da solicitude divina, jamais de interesse econômico. Os mensageiros são, sem dúvida, os profetas, enviados por Deus, e que Israel não levou em conta, e que foram muitas vezes maltratados. S. Lucas descreve numa determinada ordem: bater, ultrajar, ferir e, finalmente, reservando ao filho, matar. Insiste-se sobre o resultado destas vindas sucessivas, em que os enviados voltam de mãos vazias. O contraste é precisamente acentuado quando se fala que era o “tempo dos frutos”, e vieram para recolher ao menos uma parte.
O Pai envia o próprio filho, reconhecido como: “Este é o herdeiro”. O trágico é que ao querer matar o Filho para se apoderar da herança, os vinhateiros vão perdê-la. O filho é Cristo, justamente enviado para nos dar a possibilidade de sermos adotados como filhos, e de nos tornarmos assim herdeiros: ”Eles o agarram, matam-no e o lançam fora da vinha”. “Por isso, conclui s. Irineu, o Senhor Deus consignou a vinha, já não cercada, mas dilatada por todo o mundo, a outros colonos que dêem fruto ao seu tempo, com a torre de eleição levantada no alto por todas as partes e formosa; porque por todas as partes resplandece a Igreja; e em todas as partes está cavado ao redor o lagar, porque por todas as partes há os que recebem o Espírito”.

“Obrigado Senhor por todos os benefícios que nos tendes dado; por todas as dificuldades e insultos que recebemos por causa de vós. Ó Nosso Redentor, Amigo e Irmão que possamos conhecer-vos mais claramente, amar-vos mais profundamente e seguir-vos com maior fidelidade, para nossa salvação”.

http://www.padremarcelorossi.com.br

Fonte: Site da Rede Vida – Mensagem do Dia

Mensagem do Dia – Por Dom Fernando Figueiredo (Site da Rede Vida)

06/03/2009 Comentários desligados

06/03/2009
Mt 5, 20-26: Nova justiça é superior à antiga
Texto bíblico: “…”.

Você se deixa guiar pela cólera ou pela raiva? Jesus diz: “Quem matar será réu de julgamento” (v.21). Entendemos estas palavras no sentido de que quem mata é merecedor de condenação, pois vai contra Deus, “à imagem do qual” aquela pessoa foi criada. É um ato também contra a fraternidade humana. Jesus, aliás, retoma este termo no v.22: “quem se encolerizar contra o seu irmão”.
É interessante notarmos que a denúncia de cólera :”Quem se encolerizar contra seu irmão, será réu de julgamento”(22), quer justamente mostrar que ela é fonte de violência em todas as suas formas, e mesmo mais profundamente ainda o orgulho que torna a pessoa susceptível e irritável. O pecado não brota de repente, mas é como uma semente que cresce em nosso coração. A menos que seja superado e destruído pela graça de Deus. O primeiro exemplo de quem se deixa guiar pelo pecado foi Caim (Gn 4,6), e a Tradição a isto se refere constantemente, desde S. Cipriano de Cartago (253) até nossos dias.
Em relação ao assassinato, a cólera e a injúria pareceriam faltas benignas. Agrava, é verdade, o fato de se tratar de um irmão e ter como exigência a caridade, fundamento da vida fraterna. É justamente para esta fonte originária, a caridade, que Jesus quer conduzir os seus ouvintes e, de modo particular, os Apóstolos. Daí o rigor com que fala de tudo quanto não corresponda à vida fraterna. Quem a possui jamais poderá pensar em tirar a vida de alguém, nem mesmo em se encolerizar, no sentido bíblico, contra o outro. O antídoto para o pecado é, portanto, a misericórdia, a bondade e a paciência nascidas de um coração cheio de amor e de perdão. Compreendemos, então, as palavras de S. Agostinho: “Vivamos o amor e façamos o que quisermos”. Quem ama jamais estará ofendendo ou não correspondendo às exigências do Senhor Jesus.
“Senhor, que eu jamais seja inimigo de alguém, caso eu tenha algo contra meu irmão, eu possa me reconciliar o mais rapidamente com ele. Possa eu amar, buscar e atingir unicamente o que é bom. Que a inveja não encontre lugar em meu coração, que eu não me alegre com o mal que atinge o irmão e eu busque sempre a felicidade de todas as pessoas. Senhor, possa eu seguir as vossas pegadas no cumprimento de vossa mensagem”.

http://www.padremarcelorossi.com.br

Fonte: Site Da Rede Vida – Mensagem Do Dia

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.